Quando Deus Negou Jesus

pedido

Quem não chora, não mama, né? No mínimo é isso que escutamos hoje em dia por aí. E muitas vezes esse ditado tem se mostrado verdadeiro. Pedimos bastante durante o nosso dia e, especialmente, pedimos muitas coisas para Deus. Sendo honestos ao nos avaliarmos, a maioria das coisas que pedimos  para a nossa própria satisfação, são pedidos egoístas. E para sermos bem sinceros, não gostamos muito de sermos contrariados e de recebermos um não.  

Nesses dias parei para pensar se Cristo também pedia as coisas como a gente pede. 

A princípio não me parece que Cristo pedia muito. Especialmente coisas para si mesmo. Nos evangelhos, de vez em quando vemos Jesus pedindo para que Deus cure ou ressuscite alguém, mas nunca pedindo algo que viria a beneficiá-lo. O foco maior de Cristo sempre foi o bem das pessoas a sua volta e nunca Ele próprio. 

Pensando bem, Cristo não precisava de muita coisa, né? Aliás, Ele era Deus certo? Não tinha tudo que precisava? Ao estalar dos dedos, anjos não desceriam do céu e lhe dariam tudo que ele solicitasse? Ele tinha poder para fazer tudo que quisesse e sempre estava no controle, não?

Mas vamos imaginar por um momento, SE Cristo fosse pedir alguma coisa, o que Ele pediria? Mais poder? Mais glória? Menos inimigos? O que será que Ele pediria?

Na verdade, em um momento específico na Bíblia, Jesus pediu uma coisa pra Deus. E para nossa surpresa, não foi coisa pequena não.

Cristo pediu algo grande e difícil.

O Pedido de Jesus
 

Podemos encontrar o pedido de Cristo em Marcos 14:32-41 (e também em Mateus 26:36-46 e Lucas 22:39-47):

“Então chegaram a um lugar chamado Getsêmane, e disse Jesus a seus discípulos: Sentai-vos aqui, enquanto eu oro. E levou consigo a Pedro, a Tiago e a João, e começou a ter pavor e a angustiar-se; e disse-lhes: A minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai. E adiantando-se um pouco, prostrou-se em terra; e orava para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora. E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; afasta de mim este cálice; todavia não seja o que eu quero, mas o que tu queres. Voltando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? não pudeste vigiar uma hora? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Retirou-se de novo e orou, dizendo as mesmas palavras. E voltando outra vez, achou-os dormindo, porque seus olhos estavam carregados; e não sabiam o que lhe responder. Ao voltar pela terceira vez, disse-lhes: Dormi agora e descansai. Basta; é chegada a hora. Eis que o Filho do homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores.”

A Bíblia é recheada de menções a ambas as naturezas de Jesus, tanto a divina (Cristo era 100% Deus) quanto a humana (Cristo era 100% Homem). Muita gente estranha essa passagem ao ver o medo e aflição do Salvador.  Na verdade, esses versículos são uma janela aberta por Deus para que víssemos a humanidade de Cristo. Jesus era tão humano que o MEDO que sentia o levou a fazer essa oração.         

Ele olhou para os lados e viu-se só. Seus discipulos dormiam quase que indiferentes a sua situação. Jesus, então, prostrou-se no meio daquele jardim e começou a falar com Deus. Foi nesse momento que fez seu pedido, “Pai, tudo te é possível; afasta de mim este cálice.” 

Entendam o que Jesus está pedindo aqui. Ele está pedindo para que Deus transforme toda a história que Ele vem escrevendo desde antes da fundação do mundo. Deus Pai desenhou a história do homem com uma coisa em mente, o sacrifício de Cristo. A crucificação e a ressureição de Jesus seriam o ponto alto da história e Cristo estava pedindo para Deus mudar isso! Ele estava pedindo para que Deus desconsiderasse todo seu trabalho até aquele momento e bolasse outro caminho, outro jeito, uma nova maneira de salvar o mundo. Tudo isso quase em cima da hora!

Mas quais seriam os pensamentos que causavam tanto terror no coração do filho de Deus que o levaram a suar sangue? O que se passava por sua cabeça? O que motivara Jesus a pedir para que Deus não fosse adiante com seus planos? Do que será que Cristo tinha medo?
 

A Que Cristo Temia

agonia-no-jardim1

 Não sei se seria justo dizer que Cristo tinha medo de morrer. Acho difícil ser esse o problema, pois Jesus sabia muito bem o que aconteceria com ele após a morte, mas acredito que havia 3 coisas que faziam seu coração humano gelar: 

1) O Sofrimento Físico da Crucificação – Como mencionamos acima, Jesus era 100% homem e portanto sentiria dor. Ele sabia que sofreria MUITO e tinha ciência  que a dor e o abuso do seu corpo seriam intoleráveis para um ser humano. Seu corpo seria rasgado, moído e trucidado, culminando então no seu falecimento. Todo ser humano foge da dor, busca evitar seu próprio sofrimento e portanto é compreensível que Jesus tenha pedido para que Deus impedisse que tudo isso acontecesse com ele. 

2) Seria a primeira vez que Cristo seria tocado pelo pecado – Jesus não tinha pecado. É óbvio que ele havia se deparado com um mundo mal e com as consequências da queda do ser humano, mas Cristo não havia sido TOCADO pelo mal. Ao ser pregado na cruz, todos os pecados dos filhos de Deus seriam derramados sobre Cristo.  Ele, como um ser santo e perfeito, deve ter ficado amedrontado pela noção de que carregaria a culpa dos pecados do mundo sobre seus ombros e sabia que as consequências seriam terríveis…

3) Seria a primeira vez que se separaria de Deus – por fim, o que provavelmente mais causava temor no coração de Cristo era o fato de que Deus viraria as costas para ele e o abandonaria. Por ter sido tocado pelo pecado, Deus deixaria Cristo ali, sozinho para enfrentar toda a condenação e punição pelos pecados dos homens. Imagine ser separado, abandonado, desprezado e até punido por aquela pessoa que você mais ama.

Imagine a cabeça de Jesus ao pensar na situação. Primeiro em todo o sofrimento físico, seguido pelo contato com o pecado e culminando com o rompimento do relacionamento com seu pai. Que pensamentos angustiantes e terríveis devem ter passado pela sua cabeça e afligiam seu coração, não?

E foi nesse contexto que Cristo fez o seu pedido para Deus o Pai…

A Resposta de Deus
 

Mesmo ao ver seu filho Jesus passando por todas essas dificuldades, sabendo do sofrimento vindouro, da separação iminente, Deus disse NÃO ao pedido do seu filho!

Foi como se Deus dissesse: “Não meu filho, não vou tirar de você esse cálice. Minha vontade é que você passe por tudo isso.”

Isso não foi falta de compaixão, de misericórdia ou de amor. Na verdade foi EXCESSO de tudo isso. Excesso de compaixão, de misericórdia e de amor. É isso mesmo! Deus teve compaixão, misericórdia e amor por nós, e por isso Ele continuou com seu plano. Embora soubesse claramente do sofrimento que aguardava seu filho, Deus não o poupou e deixou seu corpo ser trucidado, moído e crucificado. 

Temos que aprender a confiar em Deus quando recebemos um não. Deus sempre tem o melhor para seus filhos e todas as coisas cooperam para o nosso bem. Jesus entendia isso e aceitou perfeitamente a vontade do seu Pai. Não é errado pedir. Mas é errado pedir e se revoltar com a resposta. É errado pedir sem se humilhar perante a soberania de Deus. Jesus pediu, mas se submeteu à dor, ao castigo, ao abandono quando Deus o negou. 

Acredito que esse foi o melhor “NÃO” da história. 

Por causa desse “NÃO”, o sacrifício de Cristo por nós foi realizado.  

Por causa desse “NÃO”, nossos pecados foram perdoados. 

Por causa desse “NÃO”, fomos justificados na cruz. 

E por causa desse “NÃO”, temos livre acesso a Deus. 

Que bom que Deus negou o pedido de Cristo! Que bom que Deus deixou que seu plano se efetuasse e se cumprisse até o final!

Tudo porque Deus disse NÃO!

Ainda bem…

 


* Existe outro momento em que Cristo pede algo para si mesmo, quando pendurado na cruz Ele pede um gole de água para matar sua sede. Quem sabe isso vire um outro post futuramente… 
** Se lembrarem de algum outro momento em que Cristo pede algo para si mesmo, fiquem a vontade para mencionar nos comentários. 

Participe da discussão

13 comentários

  1. Muito bom os pensamentos do post Daniel. Acho que faria um ótimo livro… até o título do livro você já tem! 🙂

  2. Olha aí outro pedido legal:

    João 17:24 – Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo.

    O interessante é que nessa passagem, um pouco antes, ele pede à Deus para que todos sejam um (igreja) assim como Ele é com o Pai.

    E esse pedido, foi, é ou será realizado? 🙂

    Abraços!

  3. Boa André, 

    Mas mesmo esse pedido está todo introduzido num contexto onde Cristo está pedindo tudo para o bem dos seus discípulos. Vejo esse pedido também com o objetivo de mostrar aos discípulos no final de tudo que as promessas de Cristo e seus ensinamentos eram verdadeiros. E assim veriam que valeu a pena resistir até o final. Ou seja, resumindo, o propósito ainda era o bem dos discipulos.

    Ou será que to viajando? 🙂

    Abraço,

    Daniel                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      

  4. Daniel,

    Vc pega sempre assuntos interessantes!

    Tentarei aplicar isso a mim, sendo de grande valia o descanso, ao saber que Deus sempre está no controle. Crer na Soberania e colocá-la em prática são coisas distintas que preciso fazer.

    Agora creio que, se a vontade(1) de Jesus era que o que ele queria(2) não fosse feito, e sim a vontade(3) de Deus, há um casamento entre as vontades 1 e 3. Por isso, o pedido “não seja feito o que eu quero” foi recebido com um SIM. Não por menos, nós devemos ter sempre esta vontade de que a vontade de Deus seja feita, e não o nosso querer, e isso nem sempre acontece. Com isso, podemos sempre recebermos um ‘sim’ se dissermos “Seja feita a Tua vontade” independente do nosso querer ser aceito ou não.

    Parece confuso, mas creio que uma vontade é racional (baseada na decisão) e a outra é emocional (humana, difícil).

    Se estiver errado, pf, peço que me corrija!

    Gde abço!

    Will

  5. Danilo, 

    Agradecemos o elogio. Fique a vontade para publicá-lo com créditos e links. Sua contribuição é bem vinda aqui!

    Abraço, 

    Daniel

  6. Eu concordo com o Will… E vou tentar explicar também…

    Jesus estava sim sofrendo, pois certamente ele sabia o que viria a acontecer com ele… Porém a algo nessa oração que chama muito a minha atenção, o fato de Cristo conhecer a vontade de Deus, confiar nEle e descansar nEle, fez com que Jesus prosseguisse dizendo “todavia não seja o que eu quero, mas o que tu queres” .
    Nossa oração deve ser assim também… Devemos colocar diante do trono de Deus os anseios do nosso coração, devemos pedir a Ele o que o nosso coração deseja… PORÉM, tendo em mente que a única vontade que é boa perfeita e agradável é a de Deus (Rm 12.2), e não a nossa… Como ja mencionou nosso amigo Daniel no post, Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que foram chamados segundo a sua vontade (Rm 8.28). Nós devemos confiar em Deus e aceitar a sua vontade para as nossas vidas. Ele é quem é Deus e Ele é quem é onisciente.

    Que lembremos da oração de Cristo quando fizermos as nossas, colocando a vontade de Deus acima de qualquer desejo nosso, assim como nos exorta nosso Senhor e Salvador, bem como nos lembra o apóstolo Pedro “para que, no tempo que vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus.” (1Pe 4.2).

    Abraços Daniel…
    q Deus os abençoe

  7. Esta é uma passagem “complicada”, digamos assim. Já ouvi comentários sobre esta passagem, que creio que discordariam de você, quando fala que “Deus disse NÃO ao pedido do seu filho”. Uma delas é que Jesus não poderia nunca ter feito um pedido que seria o contrário da vontade do Pai; Ele foi obediente até à morte. Não sei se soube exemplificar direito, não sou teólogo, mas provavelmente você já deve ter ouvido algo do tipo. No mínimo, é uma passagem para se estudar.

    Creio que foi com John Stott em “A Cruz de Cristo” (ótimo livro) que eu tive uma bela explicação sobre o assunto. Ele chega a comentar que, enquanto Paulo passou pelas maiores dificuldades em prol do Evangelho, Jesus Cristo, seu próprio Mestre, pediu ao Pai para afastar o cálice quando o sofrimento veio. Mas isso aconteceu porque existe uma grandíssima diferença entre o sofrimento pelo qual Cristo estava passando, e o de Paulo (ou outros evangelistas até hoje): Cristo tinha que simplesmente beber o cálice da Ira de Deus pelos pecados de todo mundo.

    Não é à toa, portanto, que Ele tenha passado por tudo isso.

    O blog de vocês é muito legal. Colocarei um link dele no meu próprio.

    God bless.

  8. Oh! Jesus Cristo, Espírito Santo de Deus e Jeová noos Pai
    por amor à Misericórdia Divina, atende à minha CLEMÊNCIA:
    Eu joguei na Mega Sena e as dezenas são:
    07 – 13 – 24 – 42 – 49 – 54 o jogo é HOJE! Por favor faça-me ganhar pois estou pior que Jó. Passando necessidades!
    Obrigado e Amém! Carlson Ripoll Gomes (30/01/10 )

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.