Gostoso, em forma, ou vaidoso?

Que dor na perna… Não posso reclamar muito, pois eu já esperava isso. Depois que eu engordei uns dez quilos e fiquei completamente fora de forma, minha esposa me convenceu a fazer academia com ela e eu já estou começando a sofrer com os resultados dos exercícios. Na sexta passada, dei os primeiros passos dentro desse mundo dominado por Patis e Boyzinhos (será que sou um deles agora?) e fiz a matricula numa academia próxima da minha casa.

Na verdade, eu não me sinto tão bem nesses lugares. Pode ser porque eu não estou tão malhado e em forma como 90% do pessoal lá ou porque preferia estar em outro lugar lendo alguma coisa, mas a verdade é que eu sempre demoro a me acostumar nesse ambiente, mesmo tendo trabalhado um ano inteiro na academia da faculdade nos Estados Unidos.

Já que um dos propósitos do mastigue.com é tirar um Raio X da cultura e hábitos do nosso país, mastiguei um pouco antes de tomar a decisão final de começar a academia e pesei bem todas as razões que poderiam estar me motivando. Vi como boas razões as seguintes:

– A minha esposa pediu… Então já que eu não me pertenço mais (I Coríntios 7:4), acatei ao seu pedido. 🙂

– Já havia terminado a faculdade há um ano e eu estava virando um preguiçoso sedentário que não fazia nada além de trabalhar, comer, assistir à televisão, ler e dormir. Estava tão fora de forma que não aguentava correr numa peladinha de futebol com a galera. Começar a malhar é uma boa alternativa para fugir da preguiça, algo que Deus recomenda (Provérbios 6).

– Exercitar faz bem para a saúde e, já que devemos zelar pela criação de Deus, temos que cuidar do nosso corpo. Não tomamos remédios quando estamos doentes, ou controlamos a nossa dieta quando estamos acima do peso? Estar em forma faz parte de uma vida saudável na qual valorizamos aquilo que Deus nos deu.

– É uma oportunidade de fazer novas amizades e construir novos relacionamentos. E como tudo na vida, inclusive as coisas pequenas, é possível fazê-lo para glória de Deus (I Coríntios 10:31). Portanto, vou enxergar isso como uma oportunidade para falar de Cristo.

No entanto, tenho que ficar atento com alguns perigos que assolam muitas pessoas que fazem academia.

1) Vaidade – Com certeza a maioria das pessoas que malham o fazem por vaidade e por estarem preocupadas com o que os outros pensam dela. Ninguém faz academia pra ficar feio, mas malhar para conseguir impressionar os outros e ficar gostosão é um objetivo vazio e é até um pecado. Nosso objetivo não deve ser receber glória e admiração das outras pessoas, e sim apontarmos pra Deus em todos os aspectos de nossa vida (João 12:43), amando mais a glória de Deus do que a glória dos homens.

2) Superficialidade – Isso é uma consequência direta de alguém que é vaidoso(a). Se alguém perde a batalha contra o seu próprio ego e se rende à vaidade, acaba se tornando uma pessoa muito superficial e vazia, pois seu foco está somente no seu corpo e na sua aparência. Se ela prestasse atenção, notaria que nenhuma dessas duas coisas vai durar muito tempo e que, como seu foco está no aqui e agora, ela não enxerga que está negligenciando outros aspectos de sua vida, como o lado espiritual.

3) Confusão de Prioridades – é um efeito cascata. Se você permite que a vaidade te controle e seu foco permanece só nas coisas superficiais da vida, as suas prioridades são invertidas. Seu tempo para Deus, sua família, parentes e amigos são afetados. Precisamos vigiar para não ficarmos tão obcecados com o nosso corpo ao ponto de não gastarmos o mesmo tempo e esforço com os nossos relacionamentos.

Agora chega de escrever, vou colocar gelo na perna pra ver se consigo jogar basquete hoje à noite e acabar com os quilinhos extras que ganhei nas minhas últimas férias.

P.S. – Alguém já passou por isso na academia?

Participe da discussão

9 comentários

  1. Daniel,

    Você joga basquete e futebol e se diz fora de forma? Coitado de mim porque eu só ando!

    Foi bom ver o seu raciocinio. Eu que trabalhei quatro anos naquela bendita academia nunca mais queria entrar em outra… Mas preciso tomar conta do meu corpo, quem sabe semana que vem eu não começo também… 🙂

  2. hehehehe já passei pelo mesmo, aliás várias vezes!
    Tenho tentado me disciplinar e começar um programa de corrida. No começo só sofrimento. Hoje, após 1 mês, o sofrimento está ligado a um pouco de alegria. Chego a sentir falta de quando não corro!!!!!!!!
    Descobri que, no meu caso, ajuda muito estar com um MP3 ouvindo algum podcast ou música.
    voce está certo quanto aos motivos pelos quais as pessoas malahm, muitos por vaidade, outros por querer conhecer pessoas, outros por melhorar a condiçao física.

  3. Bom, já que o momento é propício, vou compartilhar.

    Também estou procurando uma academia para me matricular. Tá certo que meu caso é meio complicado por falta de tempo (verdadeira), só que também estou sendo cobrado. Acho que vou entrar na natação novamente.

    Como em tudo na vida, se não for bem administrado pode sim acarretar em saúde física mas problema espiritual.

    Agora, mánunquinha que vou deixar de comer o que gosto. Só morro se Deus quiser… 😛

    Abraços halterofilísticos

  4. Darius – Você está fazendo outros exercícios…

    Emilio – Obrigado pelo comentário. Realmente o mp3 é indispensável!

    André – imagina se Deus manda você parar de comer massa? 🙂

    abraço,

    Daniel

  5. [quote]

    André – Imagina se Deus manda você parar de comer massa? 🙂

    [/quote]

    Imediatamente lembrei de um versículo:

    Salmos 23:6a Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida;

    😉

  6. Gostei do blog.
    Criativo, interessante mesmo…

    Sobre exercícios… que eu não gosto de fazer… ouvi uma vez que atletas com mais de 80 anos são poucos, já em compensação sambistas e pagodeiros são dezenas que podem ser citados com mais de 80.

    Mas eu também não gosto de pagode…

    Uma vez estava vendo televisão e vi uma reportagem que dizia de uma suposta pesquisa na Itália onde as pessoas que comiam pizza rotineiramente tinham menos propensão para câncer e estavam vivendo mais… olhei para a minha esposa e disse: taí uma pesquisa que reza a minha ótica de ver as coisas…

    Depois disto vi outra reportagem que dizia que se a pessoa mentalizasse os exercícios, enganava o cérebro e gastava as mesmas calorias. Fiquei me imaginando sentado no sofá com um livro na mão e de vez enquanto pensando: 1, 2, 3, 1… 1, 2, 3, 2… 1, 2, 3, 3….

    Mas academia, nem pensar, até porque o ambiente me dá nos nervos…

    Um abraço e parabéns pelo blog.
    Vou ver se crio o hábito de passar por aqui para dar uma lida e mastigada nos temas …

  7. Caro Oliveira,

    Agradecemos a visita! Deixe-nos em seus favoritos do browser. Suas interações serão sempre bem vindas!

    Abraço,

    Daniel (por enquanto sobrevivendo a academia…)

  8. É gente, se somos o templo do Espírito Santo, não tem jeito não, temos que cuidar muito bem do nosso corpo, afinal vamos prestar conta de tudo o que fizemos e deixamos de fazer, então vamos nessa com conciência e inteligência, abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.