Perdi Meu Cobertor

Valderez Sena Portela

Perdi e sinto frio. Por muitos anos, quando a vida enviava noites geladas em minha direção, eu não me preocupava. No fundo eu sabia que embora gasto, dobrado, e as vezes até esquecido no canto da casa, havia um cobertor pra me proteger e esquentar. Ah! Que gostoso era pegar aquele cobertor, se enrolar nele, e deitar-me sabendo que naquela noite gelada, eu estava protegido. Poderia descansar agarrado a benção daquele meu cobertor.

Mas hoje o perdi… Não o tenho mais, pois foi-se embora de minha casa. E junto com a perda desse cobertor, se aproxima uma longa e fria noite.

O cobertor que se foi são as orações e o carinho de minha avó, Valderez Sena Portela. Desde que nasci, fui alvo das orações da graciosa vovó. Orações tão frequentes e constantes que viraram para mim um lindo cobertor, que aquecia minha alma perante as dificuldades da vida.

Sabia que no colo da minha avó eu poderia ter um abraço sincero. E me acalentava o coração a convicção de que mesmo distante, ela estaria de joelhos todas as noites falando com Deus, intercedendo e clamando por minha vida.

Hoje encerrou-se em minha família uma geração. Não tenho mais avós e avôs, e tenho a noção de que hoje, em meus ombros está o chamado para também ser o cobertor de outros. Peço a Deus que Ele possa me usar como fonte de graça na vida dos que me cercam, assim como Ele usou a vovó Valderez.

Quem a conheceu, viu como transbordava amor, bondade e carinho. Quem não a conheceu, espero que consiga enxergar um pouco do que foi sua vida, ao observar a nossa.

Sem dúvida, o Senhor é a minha rocha e minha fortaleza! E por isso, sei que estou seguro em suas mãos, e que por sua bondade o frio não vencerá. Mas ainda assim, sentirei falta do meu cobertor…

A Deus toda honra e glória.

29 de Julho de 2015 – Daniel Portela

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.